Prémio Gulbenkian Património - Concurso aberto até 31/01/2022

Está aberto o concurso, até ao próximo dia 31 de janeiro de 2022, ao Prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva.

Este concurso distingue projetos de excelência na área da conservação, recuperação, valorização ou divulgação do património português, imóvel ou móvel, tendo o prémio o valor de 50 mil euros.

O prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva foi criado em 2007 e tem por objetivo reconhecer intervenções exemplares em bens móveis ou imóveis de valor cultural que estimulem a preservação e a recuperação do património, nas seguintes condições de elegibilidade:

  • que se reportem a bens imóveis ou móveis de inquestionável valor cultural;
  • que apresentem um projeto de inserção e reutilização (paisagístico, museológico ou outro) sempre que se verificar a alteração da função do bem em causa;
  • levadas a cabo por equipas lideradas por técnicos de qualificação legalmente reconhecida;
  • que não sejam propriedade ou tutela do Estado.

A decisão de atribuição deste prémio é da responsabilidade do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian, com base numa proposta elaborada pelo Júri do prémio.

A entrega do prémio será feita numa cerimónia pública, em data e local a anunciar.

As candidaturas devem ser apresentadas em formato digital (ficheiros PDF) e enviadas por correio eletrónico para: premio.gulbenkian-vilalva@gulbenkian.pt.

Conheça o regulamento e consulte todos os anteriores premiados.

Consulte mais informações na página da iniciativa Fundação Calouste Gulbenkian tem aberto, até ao dia 31 de janeiro de 2022, o período de candidaturas ao Prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva, no valor de 50 mil euros, que distingue projetos de excelência na área da conservação, recuperação, valorização ou divulgação do património português, imóvel ou móvel.

Este prémio, atribuído pela primeira vez em 2007, destina-se a assinalar intervenções exemplares em bens móveis ou imóveis de valor cultural que estimulem a preservação e a recuperação do património, nas seguintes condições de elegibilidade:

  • que se reportem a bens imóveis ou móveis de inquestionável valor cultural;
  • que apresentem um projeto de inserção e reutilização (paisagístico, museológico ou outro) sempre que se verificar a alteração da função do bem em causa;
  • levadas a cabo por equipas lideradas por técnicos de qualificação legalmente reconhecida;
  • que não sejam propriedade ou tutela do Estado.

A decisão de atribuição deste prémio é da responsabilidade do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian, com base numa proposta elaborada pelo Júri do prémio. A entrega do prémio será feita numa cerimónia pública, em data e local a anunciar.

As candidaturas devem ser apresentadas em formato digital (ficheiros PDF) e enviadas por correio eletrónico para: premio.gulbenkian-vilalva@gulbenkian.pt.

Conheça o regulamento, consulte todos os anteriores premiados e aceda a demais informações na página da iniciativa.

4.ª Conferência da Política Nacional de Arquitetura e Paisagem: aceda à gravação integral do evento!

Decorreu no passado dia 9 de dezembro a 4.ª Conferência da Política Nacional de Arquitetura e Paisagem, sob o tema 'Mobilizar os agentes no território - no caminho para a qualidade'.

Organizada em dois painéis, a conferência integrou um primeiro conjunto de intervenções sobre novos instrumentos que podem contribuir para reverter a desqualificação da paisagem: o Novo Bauhaus Europeu, o relatório «Alta Qualidade da Arquitetura e do Ambiente Construído para todos» e o Programa de Transformação da Paisagem, enquanto instrumento cuja implementação requer uma forte mobilização dos agentes territoriais; e um segundo painel, no qual, após uma reflexão sobre a qualidade da encomenda pública do projeto, foram apresentados, por parte dos seus autores e/ou responsáveis, projetos inspiradores, de referência e premiados em Portugal dando a conhecer projetos premiados no âmbito do Prémio Nacional da Paisagem; o projeto vencedor a edição de 2021 do prémio 2021 Archiprix; o projeto vencedor do prémio Arquitetura Sustentabilidade e Inovação; e a menção honrosa do prémio Gulbenkian Património.

No âmbito desta conferência foram ainda apresentados alguns resultados do Fórum Arquitetura e Paisagem [+ qualidade] 2030, e novo Plano de Ação da PNAP para o período 2021-2024.

Se não teve oportunidade de assistir em direto à 4.ª Conferência da PNAP, poderá agora aceder à gravação integral do evento no Canal YouTube da PNAP.

4.ª Conferência Anual da PNAP | 9 de dezembro

A Direção-Geral do Território, a Direção-Geral do Património Cultural, a Ordem dos Arquitetos e a Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas promovem a 4.ª Conferência Anual da Política Nacional de Arquitetura e Paisagem (PNAP) que irá decorrer no dia 9 de dezembro, no Museu Nacional de Etnologia, em Lisboa, sob o tema 'Mobilizar os agentes no território - no caminho para a qualidade', com entrada livre, embora sujeita a inscrição prévia.

Organizada em dois painéis, a conferência irá integrar um primeiro conjunto de intervenções de cariz mais informativo e mobilizador, com a apresentação de novos instrumentos que podem contribuir para reverter a desqualificação da paisagem, e um segundo painel, em que se pretendem apresentar projetos inspiradores, de referência e premiados em Portugal, bem como discutir abordagens para alcançar uma maior qualidade nos resultados da intervenção na arquitetura e na paisagem.

Tendo subjacente a reflexão dinamizada no âmbito do Fórum Arquitetura e Paisagem [+ qualidade] 2030, esta conferência irá explorar caminhos que assegurem uma transição para a qualidade e sustentabilidade da arquitetura e da paisagem, em linha com os desafios atuais associados às alterações climáticas, biodiversidade, serviços dos ecossistemas, descarbonização da economia, saúde, qualidade de vida e bem-estar.

Conheça o Programa e inscreva-se!

Páginas

Subscreva PNAP RSS
X