Fórum Arquitetura e Paisagem [+ Qualidade] 2030

Irá realizar-se, entre maio e outubro de 2021, o Fórum Arquitetura e Paisagem [+ Qualidade] 2030, através de 5 sessões temáticas, em formato digital, com o objetivo de promover o debate em torno da Política Nacional de Arquitetura e Paisagem (PNAP), auscultando a opinião de diferentes atores e intervenientes neste processo.

Aprovada em 2015, a PNAP veio assumir os domínicos da arquitetura e da paisagem como componentes relevantes no contexto das políticas públicas, e como fatores decisivos para a qualidade de vida das populações e para o desenvolvimento territorial. Esta política contém importantes princípios precursores que visam como finalidade última a melhoria da qualidade de vida, o bem-estar, o desenvolvimento urbano sustentável, a proteção do património natural e cultural e o fomento de uma cultura cívica

Estas sessões são organizadas pela Comissão de Acompanhamento da PNAP, composta pela Direção-Geral do Território, pela Direção-Geral do Património Cultural, pela Ordem dos Arquitetos e pela Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas, e desenvolver-se-ão através da participação de 3 convidados e de um moderador que introduzirá o tema, seguindo-se um espaço de debate.

Todas as sessões irão decorrer em formato virtual, sempre das 16h00 às 17h30 via Zoom em https://videoconf-colibri.zoom.us/j/9611385602 (por favor não clique no link, copie-o e coloque-o no browser no dia da sessão).

Conheça o calendário das sessões e os seus intervenientes:

Sessão 1 | 27 de maio, 16h00-17h30

Que paisagens queremos para as próximas décadas?

 

Sessão 2 | 24 junho, 16h00-17h30

Como se constroem Paisagens sustentáveis?

 

Sessão 3 | 15 julho, 16h00-17h30

Somos bons cuidadores do nosso património cultural e natural?

 

Sessão 4 | 23 setembro, 16h00-17h30

Que Paisagens urbanas para responder aos novos desafios?

 

Sessão 5 | 21 outubro, 16h00-17h30

Como articular o conhecimento e a ação na implementação da política da Arquitetura e Paisagem?

 

Novo relatório europeu sobre Territórios Rurais 2040

A Comissão Europeia acaba de publicar o relatório Scenarios for EU Rural Areas 2040 – Contribution to European Comission’s long-term vision for rural áreas. No relatório são apresentados quatro cenários alternativos para os territórios rurais da União Europeia em 2040, que vão desde o despovoamento acentuado e a especialização do uso do solo até a áreas rurais diversificadas e em expansão.

O documento, agora disponibilizado, resume os resultados de um estudo prospetivo sobre o futuro dos territórios rurais da União Europeia até 2040, desenvolvido através de um processo participativo coordenado pelo Grupo Temático da Rede Europeia de Desenvolvimento Rural (European Network for Rural Development – ENRD) sobre a Visão de Longo Prazo para as Áreas Rurais (Long Term Vision for Rural Areas – LTVRA).

Aceda ao documento completo, em formato PDF.

Constituidas as primeiras 47 Áreas Integradas de Gestão da Paisagem

Foi na passada sexta-feira publicadoDespacho Conjunto n.º 7109-A/2021 no Diário da República n.º 137/2021, 1º Suplemento, Série II de 2021-07-16  que procede à constituição de 47 Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP).

De acordo com o enquadramento dado pelo Programa de Transformação da Paisagem (PTP) e do Regime Jurídico de Reconversão da Paisagem, na sequência da apresentação de propostas por entidades promotoras e da avaliação realizada pela Direção Geral do Território, ouvido o ICNF e, quando aplicável, os municípios envolvidos, foram constituídas as primeiras áreas que visam assegurar a mobilização e apoio aos proprietários dos prédios rústicos com vista à realização da respetiva Operação Integrada de Gestão da Paisagem - um programa de intervenções de transformação da paisagem, reconversão de culturas e valorização e revitalização territorial que promovam uma paisagem mais resiliente ao fogo, mais diversa e prestadora de múltiplos serviços dos ecossistemas, e que contribua para a revitalização social e económica dos territórios vulneráveis da floresta, como preconiza o Programa Nacional de Política do Ordenamento do Território e a PNAP.

O financiamento da instalação e funcionamento da AIGP, assegurando a capacitação técnica adequada e os meios materiais necessários para assegurar a mobilização e apoio aos proprietários dos prédios rústicos e a operacionalização das ações no terreno, é assegurado no quadro da componente Florestas integrada no Programa de Recuperação e Resiliência (C8- Florestas), através do Fundo Ambiental.

Saiba mais

Páginas

Subscreva Política Nacional de Arquitetura e Paisagem RSS
X