2.º FÓRUM ARQUITETURA E PAISAGEM [+ QUALIDADE] 2030 | QUARTA SESSÃO | 22 DE SETEMBRO | 16H

No próximo dia 22 de setembro, entre as 16h00 e as 17h30, vai realizar-se, em formato online, a quarta sessão do 2.º Fórum Arquitetura e Paisagem [+ qualidade] 2030, dedicada ao tema ‘Programas de Reordenamento e Gestão da Paisagem (PRGP) - Capacitar Atores e Instituições’

Destinados a planear e programar a transformação da paisagem em territórios da floresta vulneráveis, os PRGP visam assegurar a transição para uma paisagem multifuncional e resiliente, a inclusão de novas atividades económicas e a remuneração dos serviços dos ecossistemas. A elaboração destes programas tem por base a adoção de processos participados e colaborativos, de base local e a capacitação de atores e instituições, o que é decisivo para o sucesso da sua implementação.

Estarão as pessoas despertas para as oportunidades trazidas por esta medida? Como motivar o interesse e envolvimento das comunidades e da administração local na conceção e implementação dos PRGP?

Nesta quarta sessão pretende debater-se a experiência das equipas e da administração no envolvimento dos municípios, produtores, gestores das explorações e outros atores locais relevantes, a predisposição e o interesse dos intervenientes em participarem neste processo, a motivação e o interesse e envolvimento das comunidades e da administração local na conceção e implementação deste programa, entre outras questões.

O programa conta com a participação de Fátima Bacharel (arquiteta paisagista, Direção-Geral do Território), Jorge Cancela (arquiteto paisagista, Biodesign) e Domingos Lopes (arquiteto paisagista, docente na UTAD). O debate será moderado por Sandra Sarmento, Diretora Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Norte.

Fórum Arquitetura e Paisagem [+ qualidade] 2030, edição 2022, decorre em cinco sessões entre os meses de maio de outubro, em formato online, organizadas pela Comissão de Acompanhamento da Política Nacional de Arquitetura e Paisagem (PNAP), composta pela Direção-Geral do Território, pela Direção-Geral do Património Cultural, pela Ordem dos Arquitetos e a pela Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas.

Para participar nesta sessão, basta aceder à plataforma ‘Zoom’ no dia do evento através da ligação https://videoconf-colibri.zoom.us/j/89939515578.

Conheça o programa completo do 2.º Fórum Arquitetura e Paisagem [+ qualidade] 2030 e acompanhe a Política Nacional de Arquitetura e Paisagem na página oficial e nas redes sociais da PNAP.

Palavras-chave: 

22 Candidaturas ao Prémio Nacional da Paisagem

O Prémio Nacional da Paisagem (PNAP) mobilizou, mais uma vez, a comunidade. Terminou no passado dia 15 de julho o período para receção de candidaturas. Foram recebidas 22 propostas provenientes de Câmaras Municipais, Comunidades Intermunicipais e Organizações não Governamentais.

As candidaturas enviadas serão agora avaliadas por um júri, que atenderá aos efeitos gerados pelo projeto, à sua contribuição para a proteção, gestão e/ou ordenamento da paisagem e à promoção do envolvimento e sensibilização da sociedade civil.

A participação no Prémio Nacional da Paisagem potencia a visibilidade e projeção internacional do projeto vencedor, através da participação da candidatura selecionada no concurso ao Prémio da Paisagem do Conselho da Europa.

O prémio será entregue em cerimónia pública em data a anunciar e o vencedor será convidado a participar nos Fóruns Internacionais do Prémio da Paisagem, onde terá a oportunidade apresentar o seu projeto aos estados membros do Conselho da Europa.

A forte adesão a este Prémio é um reflexo da importância crescente que o tema da paisagem tem vindo a assumir no âmbito das políticas territoriais.

Nos próximos dois meses o júri irá proceder seleção do vencedor.

Acompanhe os desenvolvimentos neste site.

Helena Roseta homenageada no Dia do Arquiteto 2022

Helena Roseta foi homenageada pela Ordem dos Arquitetos, no passado dia 3 de julho, na efeméride que assinala o Dia do Arquiteto Este dia destina-se a celebrar anualmente a profissão, destacando a intervenção social, dignidade e o prestígio da profissão.

Segundo o Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Arquitetos, a opção deste ano recaiu sobre Helena Roseta, em resultado do reconhecimento pelo "seu intenso percurso" e pela "marca indelével no permanente envolvimento em movimentos cívicos, causas sociais e atividade política". Foi ainda assinalada a importante intervenção de Helena Roseta enquanto profissional da Arquitetura, "determinante em diversos contextos históricos e políticos", onde "foi sempre a voz da arquitetura no plano social e urbano, cruzando como poucos essa demanda com as exigências de uma vida política ativa".

Helena Roseta é a primeira mulher a ser reconhecida por esta distinção tendo, segundo os representantes da Ordem dos Arquitetos, mantido sempre “a premissa de traçar a difícil intersecção entre a política e a arquitetura, assumindo frontalmente a sua condição de mulher, desde o início, e com isso fazendo também a diferença".

Saiba mais na página da Ordem dos Arquitetos

Páginas

Subscreva Política Nacional de Arquitetura e Paisagem RSS
X